quarta-feira, 18 de junho de 2008

in memorian


Seis aulas. Três de prova, uma aula e duas de puro choro.
É...aconteceu.

Quem poderia imaginar?

Amigos inconsoláveis por toda parte, choro e mais choro por todos os lados.

Quem não poderia sentir essa dor?

Quem não conhecia chorou, quem conhecia, desmoronou.

"Por que ela?" A pergunta de todos.
"Ela nunca fez mal a ninguém."

O que seria do Céu se só os maus morressem?

Ela tinha que ir, virar mais uma aliada do Senhor, que SEMPRE estará ao nosso lado, nos ajudando.

Depois de uma hora e meia, a saída. Que dor, que silêncio.

Que vontade de gritar, chorar, que vontade de quebrar tudo, que vontade de vê-la novamente, que vontade...

De imediato, nem os carros faziam mais barulho.
Depois, o barulho dos carros se tornaram estrondos, já que ninguém tinha voz mais, já que as vozes dos alunos não conseguiam cobrir o barulho dos carros.

O dia tinha tudo pra ser perfeito. Aquele mar tinha tudo pra ser bonito, se não fosse sua imensidão solitária. Aquela conversa tinha tudo pra ser alegre, se não fosse ela o assunto.

Não se encontra posição no sofá, na cama, no chão, pois a dor é tão grande que não basta um sofá, uma cama, um chão para nos confortar.
Oh Deus, ajude-nos. A conduza aos Céus, conforta-nos, dê-nos força para suportarmos essa perda e confortarmos sua família.

Conforta-me saber que agora, Sarinha, você dança com todos os anjos, ao som das harpas e da trombetas.

TE AMAMOS SARAH.
DESCANSE EM PAZ.

6 comentários:

Érica disse...

é difícil acreditar no que aconteceu.. ainda não caiu a ficha ;/! mas Deus sabe o que faz e ela ta em um lugar bem melhor que nós..

Jéssica Mallmann disse...

É difícil acreditar, e é.. a ficha ainda não caiu totalmente. Eu passei tudo isso junto com você e junto com todos e vamos combinar: não foi fácil. O que temos que fazer agora é ser fortes. Fortes por nós, e por aqueles que estão mais frágeis ainda. Tudo passa, e a morte é algo natural. Era a hora? Quem vai saber? Era tão nova... Mas eu continuo dizendo, Deus sabe o que faz. E Deus não é mal, como uma pessoa nos disse hoje. É natural, é da vida, é normal. E se era a hora, era a hora. Quem somos nós pra julgar? De repente ela tinha que passar por isso, de repente isso já estava pré-destinado. Apoio à família é o que temos que fazer agora e rezar muito por ela e por eles.

Força.

otacomiziara disse...

Pois é...
concordo com vc, sobre o que a pessoa nos disse. NOSSO DEUS NAO EH MAU.
eee...sobre a morte..
ela eh passageira...
é morrer, pra viver ^^'

Yasmin Nariyoshi disse...

São essas coisas que nos fazem parar pra pensar em cada coisa, em cada palavra, que por alguma força maior, tivemos medo de contar.
Nem sei do que eu tô falando.
Tô com a Jéssica. Força.

João Vitor Soneghet disse...

:/

gabibi_unaso disse...

Tenho certeza, mesmo não a conhecendo, que ela está nas melhores mãos do mundo.
E sei que o Deus que a levou é o Deus que consola todos que também queriam estar perto dela.

Onde quer que ela esteja, deve estar feliz vendo que os verdadeiros amigos se importam com ela, em pequenas coisas, assim como essa pequena homenagem que vc fez ^^

beijão Ota