terça-feira, 16 de junho de 2009

Caso e acaso

Se bates a porta,
a porta torta
que entorta a corda,
serei feliz,
escreverei com giz
que dentro estavas
quando entortavas
a torta porta.

Mas,
se acaso fora estiver
enquanto eu, pra dentro, vier
encontrar a solidão de um xofer
como este, por ser só
triste ficarei,
talvez triste com o dado nó
que me deste com a corda
que entorta a porta.

Por isso me deixes feliz,
bate a porta.
Que escreverei com giz,
na lousa torta,
ou até mesmo na tela:
"Eu te amo, minha bela!"

OBSimp: Erro de conjugação proposital.
Licença poética ( serve pra rimar).

2 comentários:

Kamila Gabriel disse...

Ai que munitinhuuuuuu!
Amei demais igual! HauHA! XD

=***

AntraX disse...

AAA! Axo ki eu tenhu essa tal de licença poetica! tem ki ver a data de validade (hr de renovar)
HAUhAUhuHAuhaUH