quarta-feira, 24 de junho de 2009

Encruzilhada

Hoje é domingo, pé de cachimbo (...)
Se de carro vou,
num cruzamento estou.
Mas se vou de corpo,
me encontro na vida.
No fim, dá no mesmo.

No cruzamento, os carros param
cada um tem sua preferência.
Como estou na vida, me despedaço
em prantos que vem
de onde, água, já nem mais tem.

Sem água na encruzilhada,
quem vive?
Sem água, quem vive?
Quem vive?

Já perco água, me vem comida.
Sem água não vivo,
mas, quem sabe, comida me sacie.
Sofro mutação, já não quero mais água.

E ai de quem a querer!

Espero não perder-te, comida,
como a água já perdi.
Sem água, sem comida,
perder-me-ei na vida
com sofrimento de Punto.
Pois...
"O buraco é fundo. Acabou-se o mundo."

2 comentários:

Ota ota xD disse...

Pra quem nao sabe, Punto é um carro!

Kamila Gabriel disse...

Nossa, que profundo!
HAUHUA!
Adorei! ^^