sábado, 5 de setembro de 2009

Me perdoe!

Sonhei contigo,
Óh, sonho meu!
Naquele sonho louco
que revirou tudo o que podia.

Fui ferido
por um beijo seu!
Um desejo tolo,
que não contive, pois sofria.

Sabia que não devia.
Sorria porque queria.
Fazia, mas não pedia.
Corria, quando entendia.

Num amplexo te acolho.
De perto te vejo
no reflexo do olho,
te acerto um beijo.

No teu nojo e desprezo
sai correndo.
Te chamo e não me ouve,
te seguro e te solto.

Teu nome, desejo.
Mas não entendo:
errei teu nome. O que houve?
Errei contigo. Como volto?

Queria mas não devia.
Fazia porque queria.
Corria quando podia.
Sorria mas não entendia.

Agora, triplamente doída.
Era sonho. Que sorte.
Pois, se fosse a minha vida.
Seria minha morte.

3 comentários:

AntraX disse...

vc q escreveu?
ficou loko

Isa disse...

aaaaaaaah que tudo. hahaha

'Que sorte.
Pois, se fosse a minha vida.
Seria minha morte.'

;* amei

brena disse...

esse eu li na sala de aula,
na aula legal do Mario Eugênio, RISOS!