domingo, 18 de janeiro de 2009

Duas noites sós. À sós.

E ela estava lá, de novo.
Dessa vez não a podia ver.
Ao mesmo tempo, a via.
Oh Lua, some.
Aparece.
Beije.
Não me deixe.
Vejo seu brilho na minha pele,
mas não consigo sentir.
Sem nuvens, sem estrelas.
Eu, você. À noite, à sós.
Duas noites.
Duas luas, duas vezes.
Às vezes, certeza. Quem sabe, dúvida.
Talvez, razão. Quem dera, emoção.
Sim, lua. Eu sei.
A distância dói.
A incerteza mais ainda.

2 comentários:

Ana Gabriela disse...

eu li esseeeeeeeee pessoalmente! hahaha

Ota ota xD disse...

OAIEHOIAEH...antes de ser postado...
IUHEOIHAEOIHAEIUH..
que importância eem..
que isso
UIOHEOUHAOEUHOIEUAHOEIAUHOIAEUH.
bjo gabii.