segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Ao amigo

Como é simples questionar a dor que a perda traz!
Mais simples ainda, é a resposta.
O próprio nome já diz: PERDA!
Você é acostumado a ter e, de repente, não tem mais.
PERDEU.
Não é óbvio?

E, talvez, outra dúvida surja
quanto ao fato de se apegar às coisas, sabendo que elas se irão.
E se, isso, é válido!

Para cada dúvida a resposta é mais fácil!
Não se acredita que se vai sofrer por tudo isso.
Você acaba acreditando, por si mesmo ou porque alguém conseguiu te convencer,
que você teria e guardaria para a vida inteira!
E se vai valer/vale/valeu a pena sofrer tal dor... é uma pergunta que só o sofredor pode responder.

Quem sabe, não haja dúvidas sobre tal pergunta!
Mas, não consegue reagir ao fato da felicidade, implícita no apego às coisas, transpor pelas suas mãos.

Porém, sabe o que as crianças fazem quando o leite cai no chão?
Elas choram!
E, de repente, elas percebem que não vai mudar nada!
Então, elas param de chorar e se preparam para um novo copo de leite.
Sendo que este, pode cair de novo ou não.
Mas, elas não vão deixar de chorar.
Nem de esperar o novo copo.

Aí, você me conta que você gosta muito do que é clássico e antigo.
E que o novo te assusta.

Hey!
O mundo muda!
A gente muda!
Não há meios de se parar no tempo.
(Não por enquanto).
(In)felizmente, o que é clássico e antigo é em preto e branco.
E convenhamos que, em questões de "avanço",
preto e branco tá meio caído.

E é como eu sempre digo:
"O bom do ser humano é a capacidade de adaptação!"
O novo te assusta porque você ainda não o conhece!
E não deu a chance para ele te mostrar que pode ser tão bom quanto o "preto e branco".
Só que colorido!

3 comentários:

Yasmina disse...

Muito boom,parabéns! :D

@yasminagondim disse...

seus textos sao muito bons :)

Lizete Miziara disse...

E realmente amei.
Lindo e emocionante como tudo que escreve.
Bjs
Te amo.
Deus te abençoe sempre.